segunda-feira, 9 de julho de 2012

FÉRIAS


IR DE FÉRIAS...

Pela primeira vez, neste irregular mês de Julho (em termos meteorológicos) dei comigo a estranhar ouvir a palavra "férias".
Desde que me aposentei que a palavra me soa bizarra e desde que não recebo subsídio de férias, mais bizarro me soa.
Sei que fiz umas pausas na rotina diária, indo ao Douro com a UTIL e gastei uns tostões que tinha amealhado numa escapada inesquecível  com uns amigos até Budapeste, mas agora, em pleno mês de Julho, quando os netos já não precisarem de mim, irei para a minha velha casa de Lagos com o intuito de manter de pé a casa que já foi habitação de meus pais e que requer sempre obras de conservação. Vou fazer o mínimo possível  porque o tal subsídio de férias me foi negado ao fim de 35 anos de trabalho e descontos. Vou conviver com a memória dos meus e pedir-lhes desculpa por não fazer o que eles  esperariam que eu fizesse...
Não sinto que vá de férias, vou mudar de casa e vou andar atormentada como tantos portugueses que vivem neste Portugal à beira-mar plantado .






1 comentário:

M.Haydée Nogueira disse...

Parabéns, M.C.M.,primeiro pelas merecidas férias, depois pelo blogue, que além de continuar,o que nem sempre é fácil, está bem mais bonito.Força para prosseguir...
É com muito gosto que me tornarei sua seguidora.
Bj.