quinta-feira, 7 de março de 2013

DIA DA MULHER

À medida que o tempo passa cada vez menos valor dou a certas datas. Umas são demasiado banais, outras meramente comerciais, outras porque nunca as comemorei nem vejo interesse nenhum em fazêlo e, com as outras, defendo-me para não sofrer...
Mas isso é outra conversa.
Toda a semana tenho visto na imprensa alusões a festejos no dia 8 deMarço. Parece que cada vez as mulheres estão mais unidas contra tudo o que ataca a nossa sociedade de forma tão cruel: a fome, o desemprego dos filhos e das famílias em geral e outras questões que nunca se resolverão como o facto de as mulheres ganharem menos do que os homens, etc, etc...
O que eu sinto como mulher que também é  mãe e avó é muito difícil de descrever... e, por isso socorri-me das palavras sábias deAndré Maurois:

"O que fizeste para a mulher, isso ela pode esquecer, mas nunca esquecerá aquilo que para ela não fizeste."

E, já agora, recordo aqui o poema  Calçada de Carriche  de António Gedeão que marcou muito a minha sensibilidade como mulher e professora. Disse-o, ensinei-o e comovo-me sempre que o ouço. Talvez seja o meu "eu" político a sentir ..Talvez...



1 comentário:

M.H. R.M. disse...

Lindo. Adorei.
beijinho